Arquivo

Archive for fevereiro \11\UTC 2010

A noite em que me tornei Porto Alegrense

11/02/2010 - 13:24 4 comentários

Reza uma lenda que para fazer parte da mais bela capital gaúcha do mundo o cidadão de bem deve passar pelo crivo de um determinado estatuto.

Esta mesma lenda diz que o estatuto prevê diversas provas de amor, conhecimento e admiração pela cidade, e que 4 deles são disparados os de maior importância e prioridade. Nem por isto mais são mais difíceis que qualquer outro (pra quebrar qualquer clichê).

São eles:

I) Todo Porto Alegrense DEVE torcer por um dos times da cidade. Sendo ele Azul (Grêmio, Imortal Tricolor!) ou Vermelho (Internacional). Sendo proibido dizer que torce para São José, Cruzeiro, Porto Alegre FC ou algum outro clube de fora da cidade;

Ok, Vamo, Vamo, Vamo Tricolor…

II) Todo porto-alegrense DEVE, pelo menos uma vez na vida, ter visto o pôr-do-sol do Guaíba. Sendo proibida as palmas, gritos de “Uhull” ou “Que lindo” para o fenômeno;

Ok, impossível perder.

III) Todo Porto Alegrense DEVE, pelo menos uma vez na vida, ir ao Brique da Redenção. Mesmo que seja para ficar só rodeando as barraquinhas sem comprar nada;

OK, feito.

IV) Todo Porto Alegrense deve assistir, pelo menos uma vez a cada 5 anos, ao espetáculo Tangos & Tragédias ou Pois é Vizinha. Sendo que estes quase sempre estão em cartaz na capital;

Era “agora ou nunca”.

Logo após o Will mandar e-mail falando sobre o estatuto e convidando para ver Tangos e Tragédias no Teatro São Pedro, durante o Porto Verão Alegre, pensei; “É agora ou nunca”.

Não que nunca mais tivesse outra oportunidade, ou que fosse o encerramento da peça e nunca mais fizessem nenhuma das duas.

Não que Grêmio e Inter falissem ou o pior, para fugir da falência se unirem formando um time só (talvez até ocorra em 2012, mas só depois de o mundo acabar).

Não que o brique estivesse proibido de acontecer, ao menos da forma que é e fosse construído sobre alguma avenida próxima alguma espécie de “Briquódromo”.

E muito menos que o sol se negasse dia a pós dia a ir se esconder no horizonte magnífico do Guaíba.

Mas sim porque conforme o próprio Will ele ainda não havia completado a lista de Deveres do Estatuto do Porto Alegrense.

Ou seja. Desculpa aí Will, mas eu já sou Porto Alegrense, e tu???

Agradecimentos:
- Gê, por pegar fotinhos no orkut.
- Rosália, pelas fotinhos do pôr-do-sol.
Anúncios
Categorias:cotidiano

Um dia no "Keoma’s Country Club"

08/02/2010 - 13:05 10 comentários

Situado a cerca de 40km de Porto Alegre, existe o famoso clube lazer Keoma’s Country Club.

Após ouvir diversas histórias sobre a vastidão e elegância do local, alguns colegas e amigos resolveram tirar a prova a fama do tão falado local.

A viagem não é muito longa, mas também não é das mais curtas, afinal 40Km são 40Km. Mais o pedágiozinho, que não podia faltar né, mas vale a pena. Falha deste blogeiro (?!) não registrar a ida e nem a volta.

Mas chegando lá o que não faltou foram atividades (ou quase isto), dente elas……

Tinha gente lagarteando à sombra do jequitibá (sem facão nenhum cravado em si, ao menos não visívelmente).

Pessoas iam e vinham como em passes de mágica.

A garotada se divertindo na piscina (O ‘Nerdinho’ que o diga).

Churras ‘bem pegado’ assado pela equipe (?!) de assadores.


Nerds que não largaram o Note nem na hora da festa (PHP Test Fest)


Alguns preferiram um campeonato de Pacau (Fla-Flu ou whatever), outros só na vontade.


Teve gente bodeando, pelo menos até cairem de cabeça na piscina (literalmente).


Resa uma lenda que até futebol rolou na imensidão do Country Club (tambem não registrado pelo blogueiro (?!)).


Anfitrião que não via a hora dos visitantes se mandarem.


Roda de chimarrão, sem chimarrão.

 

Valeu a pena, a final até mesmo a cachorrada aproveitou.

Categorias:cotidiano