Arquivo

Archive for junho \23\UTC 2009

Toma essa!!!

23/06/2009 - 22:55 2 comentários

Sim, sou muito calmo. Calmo excessivamente na maior parte do tempo. Existem realmente poucas coisas que me tiram, de verdade do sério. Siimmm, uma delas é o trânsito.



Ahhhhhhh o trânsito. Sem sombras de dúvidas este é um caso a parte. Não preciso gastar saliva, ou dedos, como preferir, divagando sobre os espertinhos que andam pelo acostamento e depois causam o maior tumulto para entrar na fila correta. Sem falar também nos ligeirinhos que parecem até filhos do Tiradentes que saem por aí costurando. Sem falar ainda nas mulas que existem atrás do volante (aaaahh que raiva…). Não vou nem pensar em falar em quem bebe e dirige, ou bebe dirigindo ou whatever. O trânsito de uma forma geral é um saco, caótico, estúpido, mas infelizmente necessário.

Me irrita também os políticos. Não preciso falar em mensalões, roubalheiras, mordomos nos EUA a peso de dólar. Na grana que economizaríamos, ou melhor, que seria melhor aproveitada se uma boa parte deles tivesse um pingo de vergonha na cara. Não gosto de generalizar, por isto não vou fazer como o ‘senso comum’ que diz que nenhum político presta ou qualquer coisa do tipo. Mas quer saber, o que me irrita mesmo é saber que o escândalo que estoura hoje, a CPI que vai começar amanhã de nada vai adiantar. Os mesmos citados, delatados, desmascarados, whatever estarão na próxima eleição concorrendo, se elegendo e assumindo senão o mesmo, outro cargo político. Não sei o que me irrita mais. A impunibilidade, a falta de reação do povo ou ignorância/burrice do povo que repete o mesmo erro.

Porém, aaahh porém, quando fico irritado, chateado ou penso em perder a ‘fé no homem’, me
deparo com uma reportagem sobre um bombeiro que se vestiu de Homem-Aranha para salvar menino com autismo. Ok, não era no Brasil. Ok, era um bombeiro, quer ser mais nobre que este, que está disposto a arriscar a sua vida por pessoas estranhas?!

Me deparo então com outra matéria falando sobre uma mega produtora de filmes de animação relizando o desejo de uma garotinha com uma doença terminal. Ok, maaaiiis uma vez, não foi no Brasil, não teve brasileiros no meio destas histórias, mas podemos, e devemos, parar um pouco para refletir.

Se cada um procurasse fazer a sua parte, se pensássemos um pouquinho mais nos outros, no bem geral, ao invés de em nós mesmos, no nosso próprio bem, como seria?

Ainda que em pequena escala, ainda que fossemos agulhas em um palheiro gigante. Ainda que remássemos contra uma maré, ou perdidos em um mar revolto. Ainda que um filme como “A Corrente do Bem” possa parecer um tanto quando ‘piegas’, já parastes pra pensar na mensagem que ele passa, ou tenta?! Já pensou que tudo o que acontece no desenrolar do filme é realmente possível?! Já pensou que basta apenas um primeiro passo?!
E tu, já destes o teu?

 

Categorias:toma essa

Dexter

05/06/2009 - 19:47 4 comentários

Siiiimmm, pra quem ainda não viu, não sabe o que está perdendo!

Dexter não é apenas mais uma séria da TV norte americana. Dexter chegou como quem não queria nada e impressionantemente superou todas as expectativas que a cercavam.
Mas por que a surpresa, essa não seria a idéia, fazer um grande sucesso e conquistar inúmeros fãs?


A questão é que Dexter é um serial killer, sim exatamente, Dexter Morgan (Michael C. Hall) é o protagonista da série e um assassino em série. A grande diferença, e com certeza a grande sacada dos criadores da série (ou do escritor do livro que originou a mesma, ” Darkly Dreaming Dexter, de Jeff Lindsay”), é que o nosso “adorável assassino” é um serial killer de serial killers. Isto mesmo, ele é praticamente um punisher. Só que mais realista.

A série tem muitos pontos fortes. Um deles está nos diálogos. Diálogos interessantes, quase sempre com duplo sentido e na maioria das vezes com uma dose nada contida de sarcasmo e muita ironia. O roteiro é também algo a ser destacado, por ser bem amarrado e deixar poucos (ou quase nenhum) furos. A trilha sonora é sinistra, divertida, empolgante, obscura, tudo a seu tempo, Perfeita. Assim como o formato, de séries fechadas, que vem em 12 episódios com aproximadamente 55minutos cada o que acaba permitindo que a série não fique enrolada e aconteça muita coisa em cada episódio.

Os produtores do canal ‘Showtime’ poderiam ter errado em muita coisa, menos no ator principal, aquele que daria alma a série, aquele que interpretaria um serial killer incapaz de ter qualquer tipo de sentimentos, mas os simularia para manter uma “máscara” a fim de não ser pego e assim continuar saciando sua sede de sangue. Michel C. Hall foi a escolha mais perfeita dos últimos tempos, as vezes frio, as vezes panaca, as vezes engraçado, as vezes obscuro mas sempre irônico e sarcástico consegue, como ninguém conseguiria, dar vida à Dexter Morgan.
O restante do elenco não fica pra trás. São ótimos atores dando vida a grandes personagens que complementam e tem papel fundamental durante toda a série.
Os “vilões”, como se não bastasse ter um serial killer como protagonista, são muito bons e obviamente tem ligações profunda com Dexter por todas as temporadas.
Dexter é dono de frases homéricas como:

– “Se eu tivesse um coração, ele estaria partido agora!”
– “Rita é perfeita porque, de uma certa forma, ela é tão danificada e problemática quanto eu.”
– “Rita vai ficar arrasada se eu for preso. Seu marido era um viciado e seu namorado é um serial killer. É difícil não levar pro lado pessoal.”
– “Eu nunca me importei muito com o conceito de inferno… Mas se ele existe, eu estou nele”
– “Nada como alguns biscoitos e um novo oponente à altura pra espairecer”
– “Posso matar um homem, desmembrar seu corpo e chegar em casa a tempo para ver o Letterman…Mas não sei o que dizer quando minha namorada está se sentindo insegura.”

Ainda assim é possível perceber uma “humanização” do personagem desde o primeiro episódio. Aliás, a evolução não só de todos os personagens, mas como dos relacionamentos e de toda a série em questão é muito interessante, de se impressionar.

Sem mais a declarar, sem detalhes sobre a história, sobre vilões, sobre temporadas, sobre personagens, sem nem mesmo spoilers, deixo a dica da inovadora série e reafirmo: Quem não viu literalmente não sabe está perdendo. E eu é que não vou contar. ;-P

 

Categorias:séries